À Deriva

À Deriva
Letra e música: Matheus Souto

As vezes me sinto meio morto, morrendo, ou algo assim.
Me sinto como na iminência de que algo vai ter fim
Sinto um afogar no motor do peito
Por um minuto eu me deito e já não mais estou dentro de mim
O mundo gira, o tempo passa, eu me admiro e me desfaço
Eu vou chegando ao fim do dia.
E há um buraco em meu peito a tilintar beleza fria
Que o tempo não tenha sido em vão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s